“foi A Nossa Pior Partida Na Competição.


Para o técnico curitibano, Clésio Prado, o fator preponderante neste jogo foi o estudo que fizemos sobre o time de São José. Acertamos a marcação, fomos incisivos no nosso saque. A relação de bloqueio e defesa funcionou muito bem. Nosso entrosamento também melhorou. Ainda temos alguns ajustes a fazer, especialmente nos contra-ataques”, comentou Clésio. Do lado adversário, o técnico de São José dos Pinhais, Alex Paiva, lamentou a derrota e disse que a equipe deixou muito a desejar no jogo, especialmente no bloqueio. “Foi a nossa pior partida na competição. Individualmente o grupo foi muito abaixo e o bloqueio não apareceu. Ficamos dependendo apenas de alguns saques. O mérito é todo da equipe adversária que pode contar com o apoio da torcida e saio daqui chateado com o resultado porque esperava um pouco mais da equipe”, desabafou Paiva.

Segundo a Apoia-PR, o índice de reprovação dos veículos durante a inspeção é alto, com cerca de 52% reprovados na análise de segurança veicular. Por isso, aponta Daniel Ariete, os pais devem sempre procurar saber mais sobre a empresa que estão contratando e o profissional que ficará responsável por levar e/ou trazer seus filhos da escola, além de verificar a documentação desse motorista e do veículo. “É importante saber o histórico da empresa e checar com os órgãos responsáveis se ao menos a vistoria (que é um exame menos detalhado do que a inspeção veicular) está em dia, que já é alguma coisa. Também é bom conversar com outros pais que já utilizam o serviço para saber o histórico do motorista, se ele dirige com coerência”, orienta Daniel. Em Curitiba, situação é ‘um pouco melhor’ Ainda segundo a Apoia-PR, o problema com relação aos veículos de transporte escolar afeta todo o estado do Paraná, em maior ou menor grau.

são josé dos pinhais